O mistério das estátuas da Ilha de Páscoa foi finalmente resolvido?

ADVN - Quando se trata das imponentes cabeças de pedra da Ilha de Páscoa, há agora um mistério a menos para resolver.

Pesquisadores há muito se perguntam por que as enormes estátuas foram colocadas onde estão. No entanto, um novo estudo diz que o povo de Rapa Nui, como a ilha é chamada na língua local, os posicionou perto de fontes do recurso mais vital da humanidade: água doce.

Os arqueólogos estudaram a localização das estátuas, ou moais, e as plataformas nas quais muitos deles se encontram, conhecidos como ahu. Marinheiros polinésios chegaram pela primeira vez em Rapa Nui, a 2.300 milhas da costa do Chile, aproximadamente 900 anos atrás.

Eles então passaram a construir mais de 300 ahu e quase 1.000 moai, que, acredita-se, representam ancestrais significativos.

Os autores do novo estudo, publicado na revista PLOS One, procuraram entender a distribuição do ahu para entender melhor seus criadores.

O coautor do estudo, Carl Lipo, professor de antropologia na Universidade Binghamton, em Nova York, disse à CNN: "Esse conhecimento nos diria algo sobre como as primeiras pessoas de Rapa Nui usaram a paisagem e o que acharam importante".

Pesquisadores de seis instituições dos EUA isolaram uma área ao leste de Rapa Nui, contendo 93 ahu. Eles analisaram os recursos naturais perto do ahu, concentrando-se nos jardins de palha onde se cultivavam batatas doces, recursos marinhos incluindo locais para a pesca e fontes de água doce.

Não houve correlação significativa entre a localização do ahu e a presença de hortas próximas, sugerindo que os ahu não estavam situados para monitorar ou sinalizar o controle desses recursos.

Embora os recursos marinhos e as fontes de água doce tenham sido encontrados perto do ahu, os pesquisadores concluíram que apenas o último era significativo; afinal de contas, ambos normalmente ocorrem nos mesmos locais e a água doce era muito menos disponível.

A equipe de pesquisa mapeou a ilha - que não tem córregos ou nascentes - por fontes de água doce. Eles descobriram que emergiu do subsolo em áreas ao longo da costa, através de um processo chamado descarga de águas subterrâneas.

"A água fresca literalmente sairia bem entre a costa e o oceano em um riacho. Veríamos cavalos bebendo do oceano, e descobriu-se que eles sabiam exatamente onde a água doce estava saindo", disse Lipo. Isso explicava a alta concentração de moai e ahu ao longo da costa, inferiram os pesquisadores.

Estátuas do interior, também, poderiam ser conectadas a água doce: elas estavam localizadas perto de cavernas ou outras fontes de água doce.
As descobertas sugerem que os moai e ahu de Rapa Nui eram valiosos além de sua importância ancestral para os primeiros habitantes da ilha, concluíram os autores do estudo.

"Construir as estátuas não era um comportamento inexplicável, mas algo que não era apenas culturalmente significativo, mas fundamental para sua sobrevivência", disse Lipo.

Em seguida, os pesquisadores esperam entender melhor por que tais estátuas vastas e elaboradas foram construídas. Se sua função principal era indicar ou reivindicar a propriedade de uma fonte de água doce, Lipo disse, uma construção mais simples certamente seria suficiente.

"É incrível quanta energia entrou neles", observou ele. "As estátuas e o ahu em si não eram apenas um único evento - eles fizeram as estátuas e essas plataformas para colocá-las, e então refizeram as plataformas e estátuas adicionais para colocá-las." (CNN)

Achou satisfatoria a explicação? Eu sinceramente não achei!

Comentários