América em choque após o ataque ao Congresso a favor de Trump. 4 mortos

ADVN - Washington D.C. nos Estados Unidos, após um discurso e subsequente apelo de Donald Trump aos seus constituintes, o Capitol, a sede do Congresso onde a reunião estava sendo realizada para ratificar a eleição de Joe Biden como novo presidente do Estados Unidos. Uma reunião interrompida pela multidão de manifestantes que primeiro quebraram as barreiras de proteção colocadas pela polícia e, em seguida, invadiram as salas de aula graças ao grupo organizado de manifestantes conhecido como Pride Boys. Resposta imediata e indignação de quase todas as forças políticas, mas não do próprio Trump que os definiu como patriotas, e tão importante foi a resposta da polícia que usou bombas de fumaça e hidrantes para dispersar a multidão e libertar o Capitólio.

Quatro pessoas morreram nos confrontos no Capitólio, enquanto 13 ficaram feridas, uma das vítimas foi identificada à noite. O nome dela é Ashli ​​Babbitt, uma apoiadora do Trump de San Diego e veterana dos EUA. Força do ar. De acordo com a mídia americana, Ashli ​​foi baleado por um dos policiais do Capitólio.

a sessão foi reiniciada após as salas de aula terem sido limpas, higienizadas e protegidas. O objetivo é confirmar a eleição de Joe Biden como presidente durante a noite americana. Apenas 6 dos 14 senadores iniciais confirmaram objeções aos resultados no Arizona, o estado que os legisladores começaram a examinar, antes das batidas dos manifestantes. Os senadores Ted Cruz (Texas) e Josh Hawley (Missouri) resistem com Trump. Mas outros grandes nomes do partido, que mesmo nos últimos meses apoiaram sem reservas o presidente, claramente se dissociaram.

TRUMP, 25ª EMANDMENT - De acordo com a CNN, alguns ministros do governo Trump estão discutindo se devem recorrer à 25ª emenda, que poderia então levar à destituição do presidente em exercício e confiar o país a seu vice, Mike Pence. O procedimento requer obviamente o consentimento de Pence e dois terços dos membros de cada Câmara.

Washington Post: "Trump é uma ameaça, ele deve ser removido"

Donald Trump "é uma ameaça, ele deve ser removido". É o ataque frontal do Washington Post ao 45º presidente dos Estados Unidos após o assalto ao Congresso ocorrido em 6 de janeiro, dia que deveria ter levado à certificação da vitória de Joe Biden nas eleições de 2020. ”A rejeição do presidente Donald Trump aceitou sua derrota eleitoral e incitamento ininterrupto a seus apoiadores levou ao impensável na quarta-feira: um ataque ao Capitólio dos Estados Unidos por uma multidão violenta que varreu a polícia e expulsou o Congresso de suas salas de aula enquanto debateu a contagem de votos eleitorais. A responsabilidade por esse ato de sedição recai diretamente sobre o presidente, que mostrou que seu mandato representa uma séria ameaça à democracia norte-americana. Deve ser removido ”, diz editorial do diariamente.

"Trump encorajou a multidão a se reunir na quarta-feira, quando o Congresso foi convocado, e a" ser selvagem ". Depois de repetir uma série de teorias de conspiração eleitoral absurdas, ele exortou a multidão a marchar sobre o Capitol. 'Vamos lá e eu irei. Eu estarei com você ”, disse ele.“ Você não pode retomar o país com fraqueza, você tem que mostrar força e ser forte. ”O presidente - escreve o WP - não seguia a multidão, mas assistia passivamente na televisão enquanto ele estava derrubando as barreiras ao redor do Capitólio e assumindo a polícia. Deputados e senadores foram forçados a fugir. Tiros foram disparados e pelo menos uma pessoa foi baleada e morta. "

“O presidente é inelegível para permanecer no cargo pelos próximos 14 dias. Cada segundo que ele mantém os vastos poderes da presidência é uma ameaça à ordem pública e à segurança nacional. O vice-presidente Pence, que é para sua própria segurança. sido retirado da câmara do Senado, deve imediatamente convocar o gabinete para invocar a 25ª Emenda, declarando que o Sr. Trump é 'incapaz de cumprir os poderes e deveres de seu cargo'. Congresso, que seria solicitado a ratificar o caso Trump se oponha, ele deve fazê-lo. Pence deve permanecer no cargo até a posse do presidente eleito Joe Biden em 20 de janeiro. "

Agencia Yahoo.com









Seja um parceiro do nosso Blog: Fale conosco.

Segue o "Águas da vida" no Facebook

Segue no Instagram: @aguasdavidanews


 

Comentários